Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sexoconvivio

Este Blog contém relatos de encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo.


Este Blog destina-se á publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. É proibida a cópia e/ou reprodução total ou parcial do conteúdo do Blog sem autorização escrita do seu autor. Aconselho a que menores de idade se abstenham da leitura dos relatos aqui postados. Utilize a pesquisa deste Blog para procurar um número de telemóvel, nome, localidade, etc. de forma mais rápida. Boas leituras e deixe o seu comentário se assim o desejar.

Segunda-feira, 14.09.15

913131159

Dia 21-08-2015, estou de passagem pela cidade do Porto. Tenho tempo livre e com ele surge a vontade de procurar um convívio por esta região, algo que já não acontece há muito tempo. Não tendo em minha posse um jornal com referências a convívios nesta região, apoiei-me nas ferramentas tecnológicas para buscar anúncios de convívio. No site www.rua69.com encontrei várias possibilidades, e após vários telefonemas de pesquisa optei por um convívio fora da cidade do Porto, mais concretamente em Madalena nos arredores de Vila Nova de Gaia. O anúncio versava: PEQUENINA GULOSA (MADALENA - VILA NOVA DE GAIA) SOU UMA PRINCESINHA PEQUENINA 1,45m, 40Kg, 40 ANINHOS BEM CONSERVADOS E MUITO FOGOSOS. FAÇO-TE UM ORAL AO NATURAL ATÉ AO FIM, E ACEITO LINGUA MAROTA, ASSIM COMO UM CONVIVIO MUITO ENVOLVENTE. VEM PROVAR AS MINHAS DELICIAS. DAS 9H Às 20H MEU CONTACTO, 913131159. No primeiro contacto uma voz simpática com sotaque português sem pronúncia do norte anuncia convívio normal com oral ao natural por 20€ e completo por 30€, dá-me como referência o Pingo Doce de Madalena e diz estar disponível até às 19h e 30m. Seguindo as indicações do GPS chego ao ponto de referência, faço novo telefonema para saber da sua disponibilidade imediata e para completar a morada do apartamento onde se encontra. Obtive resposta positiva quanto à disponibilidade e fui direcionado para um determinado número de porta numa rua próxima, obtendo também a informação sobre qual o andar para onde me deveria dirigir. 

 

Foi fácil localizar a rua e o prédio pretendido, o estacionamento foi fácil (mesmo sendo a rua muito reduzida em extensão) e gratuito. Faço novo telefonema para indicar que havia chegado ao local e para que me abrisse a porta, ainda assim, tive de aguardar alguns momentos à porta do prédio até que esta se abrisse. Felizmente o apartamento situa-se num prédio pequeno, pois é preciso subir pelas escadas por não existir elevador. Ao chegar ao piso pretendido vejo que a porta do apartamento abre para as escadas e que a profissional do sexo estava no topo das escadas mantendo-a aberta, desta forma entro no apartamento sem demoras. À porta vestia jeans, uma blusa amarela e calçando as sandálias das fotos do anúncio, após cumprimentos da praxe direcionou-me para o quarto. Apenas duas portas estavam abertas, a do quarto e ao seu lado a casa de banho, mas tendo em conta o som que vinha da outra ponta do apartamento ficou claro que existiam mais mulheres no apartamento. Peço para ir à casa de banho para me lavar e obtenho resposta positiva, encontrei-a limpa e cheiros. De dimensões reduzidas, disponibilizava vários produtos de higiene pessoal bem como toalhas de pano e rolo de papel para nos secarmos. Continha lavatório, poliban com duche, sanita e um bidé de tal forma entalado entre ambos que se torna difícil a sua utilização. Existia alguma roupa amontoada entre o poliban e a parede, mas que ficava escondida atrás da porta. Volto para o quarto onde, ainda vestida, a profissional do sexo ajeitava a manta de trabalho em cima da cama. Começo a despir-me quando o pagamento me foi pedido. Excepcionalmente decidi ficar pelo convívio normal com possibilidade de completo pagando o restante no fim. Isto porque estava inseguro uma vez que no convívio anterior a minha prolongada ausência aos treinos impediu-me de materializar o convívio completo por falta de estamina. Após receber ela desce os estores para maior privacidade, ainda assim a luz que passava por eles iluminava bem o quarto. Seguidamente saiu levando o dinheiro e dizendo para eu ficar à vontade que ela ia buscar o material de guerra, pois sem ele não poderíamos continuar. Esta afirmação colocou um sorriso na minha cara.

 

Aproveito a sua ausência para ir observando o quarto enquanto dispo a roupa. Espaçoso quanto baste estava limpo, sem cheiros e aspecto arrumado. Nele estava uma cama de casal com uma mesa de cabaceira de cada lado, um roupeiro, uma cómoda. Na janela, cortinados vermelhos filtravam a luz solar que iluminava o quarto. Por baixo dela existia uma cadeira de cor preta onde deixei a roupa. Na parede por cima da cabeça da cama estavam paralelamente colados dois espelhos com formas ondulantes, por cima destes estava um leque decorativo. Na parede oposta um quadro era o ornamento escolhido. Segundos depois ela regressa, trazendo o material de guerra. Fui para a cama enquanto ela o ajeitava em cima da mesa-de-cabeceira. Enquanto se despia perguntei o seu nome, vacila um pouco e diz chamar-se Sofia, comentando logo de seguida que quase se enganava e me dizia o seu nome real. Assim, se iniciou alguma conversa que continuou depois da Sofia se juntar a mim na cama e que, inevitavelmente, divergiu para os nossos percursos de vida. Obviamente, esses detalhes não têm lugar neste relato. Na minha memória ficou o facto de realmente não ser uma mulher do norte, os quatro meses que ela diz estar nesta actividade e a vontade de não a exercer por muito mais tempo, a sua grande simpatia e alguma despreocupação em relação ao tempo despendido na conversa. Tal como o seu anúncio refere ela é baixa com cerca de 1,45m de altura, aparenta ter uns cinquenta, cinquenta e poucos anos de idade. O seu peso andará pelos quarenta e muitos quilos, tem cabelo castanho-claro não muito longo. A cara tem algumas rugas que condizem com a sua idade. Por baixo da blusa e dos jeans vestia lingerie de cor preta e já sem esta indumentária foi possível ver que o seu peito, de dimensão mediana para a sua estatura, é um pouco descaído e tem algumas estrias, a barriga com alguma flacidez apresenta uma cicatriz vertical, a vagina tinha pêlo aparado, coxas e nádegas com volume atraentes e macias ao toque. Um leve odor a tabaco leva-me a acreditar que é fumadora.

 

Junta-se a mim na cama deitando-se de lado em cima das minhas coxas, após algum tempo de conversa, acompanhada de algumas caricias ao tolinhas que o foram mantendo a meia haste, dá início ao oral ao natural com boa sucção, ritmo lento e profundidade mediana que rapidamente o colocaram em sentido. Durante alguns minutos continuou ao natural para depois colocar a gabardine no tolinhas e continuar o oral por mais algum tempo. Seguidamente vem para cima de mim e apoiando-se nos seus pés dá início ao vaginal na posição de cowgirl, senti-a apertada e após algum tempo senti que a minha decisão de pagar apenas o convívio normal fora a acertada, pois o tolinhas começava a dar sinais de estar a chegar ao fim da linha. Tentando fazer uma pausa para ganhar algum tempo, pedi que mudássemos de posição. Sem problemas fomos para doggy style, mas de pouco me valeu, em menos de um minuto o tolinhas entregava o seu leitinho na gabardine.  

 

Seguiu-se a retirada da gabardine ao tolinha e limpeza com toalhitas, a Sofia propõe uma ida à casa de banho para um duche, mas recusei. Ela saiu para ir à casa de banho, eu fui-me vestindo e pouco depois ela regressa. Enquanto acabamos de nos vestir, vamos conversando, desta vez sobre a realidade do país. E no meio de conversa a Sofia acompanhou-me até à porta onde nos despedimos e segui o meu caminho.

 

Conclusão: Mais uma vez o tolinhas não teve fôlego para chegar à porta traseira, será isto uma tendência? Espero que não. A Sofia mostrou-se super simpática e conversa sem problemas, tendo-me colocado à vontade e não me deixando notar qualquer controlo de tempo. Embora o seu corpo já apresente algumas marcas do tempo, considero que está muito bem para a sua idade e, na verdade, já vi muito pior em mulheres bem mais novas. Tendo em conta o que vi no quarto, não tenho qualquer dúvida de que é ela mesma que figura nas fotos que ao longo das últimas semanas acompanham o seu anúncio. Um repeteco não está excluído caso volte a encontrar o seu anúncio numa região por onde eu ande.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Ninor às 22:13

Sábado, 15.11.14

926673267

Dia 05-11-2014, já fazia algum tempo que eu não andava pela linha de Sintra em busca de um encontro de sexo pago, neste dia as tarefas que estou obrigado a cumprir conjugaram-se para que a oportunidade de um novo encontro nesta zona surgisse e se concretizasse. Pela manhã, percorro os classificados publicados no Correio da Manhã dando mais atenção á linha de Sintra, encontro várias possibilidades nos contactos que realizei, no fim acabei por me decidir por este: SOFIA 34A PORTUGUESA LOIRA BONITA O.NAT.FIM FAÇO TUDO! DISCRIÇÃO, 926673267. No primeiro contacto atendeu uma voz com um tom agradável de se ouvir ao telefone e com sotaque português. Anuncia, sem colocar reticências ou objeções, que o seu convívio é completo onde o oral poderia ser ao natural e, se eu for quentinho, pode oferecer uma segunda oportunidade sendo 30€ o valor do convívio. Afirma estar na Avenida José Elias Garcia no centro de Queluz não muito longe da ponte de Carenque, estando disponível até às 19h 30m. Mais para o final do dia dirijo-me a essa zona, estaciono a viatura sem ter muita dificuldade em encontrar parqueamento sendo o mesmo gratuito. Não demorou muito a atender o telefone no segundo contacto que fiz para completar a morada e saber da sua disponibilidade, respondeu confirmando a sua disponibilidade imediata e revela o número de porta para onde me devo dirigir, instruindo-me a voltar a ligar quando lá chegasse. Sigo a pé em busca do número e depressa o encontro, a avenida é movimentada mas o prédio está localizado numa zona razoavelmente discreta, possivelmente por não haver estabelecimentos comerciais por perto. Como combinado ligo novamente, atende dizendo que vai abrir a porta referindo também qual o apartamento onde se encontra, foi necessário esperar alguns momentos para que a porta se abrisse e eu entrasse no prédio. Entro e de alguma forma não vi a porta do elevador, só percebi que existe elevador quando vinha a sair do prédio, desta forma subi pelas escadas mal iluminadas até ao andar pretendido. Cheguei á porta de apartamento e momentos depois esta abriu-se, sem se esconder por detrás da porta estava a anunciante, de saltos altos e vestido caicai preto e sem alças que, no conjunto, acentuavam a sua muito agradável silhueta e que era complementada pelos seus cabelos louros apanhados em rabo-de-cavalo e uma face que aprecio. Para primeira impressão não se pode pedir muito mais.

 

Entro e desde logo foi muito simpática iniciando algum diálogo se foi mantendo durante todo o encontro, cumprimentamo-nos á porta com um olá, sou a Sofia e dois beijos na face, e foi então que tive a sensação de já conhecer esta cara de algum lado mas não saber de onde. Fomos direto para o quarto conversando sobre a dificuldade maior ou menor de chegar ao local e encontrar estacionamento. Entramos no quarto que estava bem iluminado sendo as tonalidades laranja e castanha a dominarem o ambiente devido á decoração e mobiliário. Perguntei se podia ir á casa de banho, a resposta foi: “claro que sim, se quiser pode se despir e ir depois”. Preferi ir ainda vestido, prontamente saímos do quarto e fui levado até á casa de banho onde me foram colocados á disposição sabonete líquido, uma toalha lavada e dobrada e um rolo de papel caso o preferisse para me secar. A casa de banho estava bem iluminada, limpa, sem cheiros e com bom aspeto, é de pequenas dimensões onde a utilização do bidé é dificultada pele proximidade da cabine de chuveiro, dois golfinhos que servem de decoração na parede do lado direito da entrada, prenderam a minha atenção. Saio e volto para o quarto onde encontro a Sofia a acender um pau de incenso e duas velas aromáticas, diz ela que é para tirar o cheiro de comida que a vizinha de baixo esteve a fazer e que entrou pela janela aberta. Vou-me despindo e ela pede o valor do convívio enquanto se dirige á janela para a fechar, prontamente disponibilizo o dinheiro colocando-o em cima de uma pequena mesa no centro do quarto. Enquanto ela coloca o lençol de trabalho em cima da cama eu acabo de me despir, após o que ela me diz para eu ficar á vontade, sai do quarto para ir se lavar levando o dinheiro consigo.

 

Deito-me na cama e observo as instalações, quarto é amplo, e estava bem iluminado pela luz solar que passava pelos estores, limpo e arrumado. Tinha uma cama de casal, onde a início estavam algumas almofadas em tons laranja e de momento já só existia o lençol de trabalho, uma cômoda com um espelho em cima, a seu lado um móvel com uma televisão que esteve sempre desligada, na janela cortinados laranja e castanhos filtravam a luz solar, á direita da cômoda uma pequena estante que continha alguma decoração e mais algumas velas apagadas. Numa mesinha de estilo antigo, cuja característica mais evidente era duas rodas de grandes dimensões, ardiam a vela e o incenso que já faziam notar o seu agradável aroma, ao lado desta peça de mobiliário repousava no chão um rádio que durante todo o encontro debitou alguns decibéis de música agradável. Junto á porta do quarto estava um sofá que, além da minha roupa, tinha algumas almofadas decorativas em tons laranja, por cima deste sofá existe um móvel que o emoldura com dois suportes laterais (pernas), um quadro na parede por cima da cama e dois papiros com cenas do antigo Egipto emoldurados e aplicados na parede oposta constituíam a decoração colocada nas paredes. Algum tempo depois a Sofia regressa ao quarto já toda nua e cabelos soltos, trazendo a sua lingerie na mão que colocou no sofá junto da minha roupa, a silhueta atraente que apresentou á entrada é confirmada agora despida e sem saltos altos. Anuncia 34 anos de idade mas em conversa acabou por admitir estar próximo dos 40, tem cerca de 1,65 metros de altura, uns 60 Kg de peso, é portuguesa, caucasiana algo bronzeada pois ainda é percetível a linha do biquíni, a barriga tem alguma flacidez típica de quem já foi mãe, existem algumas estrias nas suas ancas, o seu peito de tamanho médio com mamilos salientes é natural mostrando sinais de seguir a lei da gravidade, a sua púbis está aparada em forma de triângulo e sua cor negra não condis com a cor dos seus cabelos, as suas cochas e nádegas são firmes, bem torneadas, não vi tatuagens, piercings, tem no entanto uma pequena cicatriz na barriga.

 

Mantendo o diálogo vivo ela retira, do móvel por cima do sofá, algumas gabardines para o tolinhas e junta-se a mim na cama. Iniciou com algumas caricias ao tolinhas e com alguns beijos no corpo, pescoço e cara mas nunca na boca, pois isso foi algo que ela evitou de forma elegante mas deliberada. Perguntou como queria o oral, deixei ao seu critério e começou ao natural durante alguns minutos tendo depois continuação com gabardine, sempre com bom ritmo, sucção e profundidade tentando engolir o tolinhas na totalidade mas sem o conseguir. Depois pergunta como eu queria continuar, sugeri que ela se deita-se para iniciarmos na posição de missionário, acedeu e assim prosseguimos para vaginal onde o tolinhas se sentiu bem a conchegado, logo aqui começaram os seus gemidos que eram verbalizados com “Ais e Uis”. Genuínos ou teatralizados? Não sei, apenas sei que permaneceram até ao final do encontro, não foram incomodativos porque com os movimentos de vai e vem a cama abanava e rangia de forma audível e bem mais notória. Alguns minutos depois ela tomou as rédeas ao andamento do encontro e por sua sugestão passámos para doggy style, belas curvas se apresentam nesta posição, guio o tolinhas para continuarmos num vaginal, as minhas mãos seguem para as suas nádegas muito macias apertando-as e afastando-as para ver a porta traseira enquanto o tolinhas trabalhava na entrada principal. Não tardou muito até que a visualização super estimulante do seu traseiro me fizesse sugerir que passássemos para anal. Foi aqui que mais uma vez um encontro que ao telefone parece prometedor e no quarto tem um bom começo, acaba por revelar o mau profissionalismo de quem só na cama coloca objeções. Recebo como resposta uma recusa em fazer anal devido ao tamanho do tolinhas dizendo, “o quê com esse tamanho mas nem…nem que me pagasses…..?!?!”.

 

A pagar já eu estava e como o valor que ela tinha na cabeça era tão grande que não o conseguia verbalizar, achei por bem não insistir e sugeri então que continuasse-mos o vaginal desta vez na posição de cowgirl. Aceitou prontamente, e assim prosseguimos por mais algum tempo até que, novamente por sua sugestão, mudámos para uma posição de lado que se manteve até finalizar. De seguida usando toalhitas retirou a gabardine ao tolinhas, limpei com toalhitas, e fui á casa de banho para uma melhor higiene. Pouco depois volto para o quarto e nestas idas á casa de banho pude ver, por portas entreabertas, a cozinha e conhecer a existência de mais um quarto no apartamento, ambos estavam vazios levando-me a crer que pelo menos durante o tempo que lá estive eramos as únicas pessoas no apartamento. Vamos conversando enquanto me visto, após alguns minutos ela envolta numa toalha acompanha-me até á porta onde nos despedimos com dois beijos e fui á minha vida, ainda com a sensação de já conhecer esta cara de algum lado.

 

Conclusão: A sensação de já conhecer a Sofia de algum lado, fez-me consultar os registos de encontros passados, levando-me a concluir que é a mesma pessoa que conheci como Ana em Benfica no início deste ano. Desse encontro ficou em aberto possibilidade de um novo encontro. Devido á mudança de número de contacto, anúncio e apartamento, essa possibilidade acabou por se concretizar sem que eu a procurasse. Neste novo encontro a Sofia mostrou-se muito simpática disponibilizando um pouco mais de tempo para comunicar dando assim a oportunidade de “quebrar o gelo”, contudo, ainda a senti algo distante quanto á envolvência. Pelo contrário o seu oral ao natural foi dos melhores que encontrei nos últimos tempos e mesmo com gabardine está acima da média. Mais uma vez os seus gemidos deixaram-me indeciso quanto á sua autenticidade, e embora não seja muito óbvio senti algum controlo de tempo. A parte do anúncio onde se lê “FAÇO TUDO!”, deve ser interpretado como “faço quase tudo” uma vez que está interdito anal com “ferramenta” de dimensões um pouco acima da média. Este facto em si não me causa stress, o que realmente me desagrada é o facto destas limitações só serem divulgadas na cama e não ao telefone, o que me daria a oportunidade de nem aparecer no apartamento. Acima de tudo procuro convívio completo e não uma cara laroca num corpo apetecível, a não concretização desse objetivo da forma como ocorreu faz com que um repeteco só possa acontecer por engano, caso a Sofia volte a mudar de número de contacto, anúncio, apartamento e a minha memória volte a falhar á entrada do apartamento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Ninor às 02:07

Tal como está escrito na primeira linha a azul no topo deste blog, o mesmo serve para publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. Não permitirei que este blog seja uma plataforma publicitária, por isso quem quiser publicitar o que quer que seja no espaço para comentários deste blog, verá os seus intentos frustrados tão cedo quanto me for possível. Procurem outro local ou concebam o vosso próprio espaço publicitário.


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Posts mais comentados





Flag Counter

Visitantes Online