Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sexoconvivio

Este Blog contém relatos de encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo.



Este Blog destina-se á publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. É proibida a cópia e/ou reprodução total ou parcial do conteúdo do Blog sem autorização escrita do seu autor. Aconselho a que menores de idade se abstenham da leitura dos relatos aqui postados. Utilize a pesquisa deste Blog para procurar um número de telemóvel, nome, localidade, etc. de forma mais rápida. Boas leituras e deixe o seu comentário se assim o desejar.

Sábado, 25.08.12

915899340

Na apresentação que fiz ao criar este blog, prometi publicar os relatos de encontros bons e maus…. mas o barrete que apanhei neste encontro fez com que hesita-se e pensa-se duas vezes. É que foi mesmo medonho. Ainda assim vou cumprir com o prometido.

 

Dia 23-08-2012 estou de férias na região de Aveiro, não vou para a praia porque o tempo está encoberto. O que posso fazer para passar o tempo? Já sei, consultar a lista de profissionais do sexo aqui da zona que se encontra no Diário de Aveiro. Procuro anúncios com convívio completo…. Ora cá está, é mesmo este: 1ª Vez Sra Francesa, Completíssima!! Por trás Gosto mais… Tb Hotéis, 915899340. Primeira ligação para saber as condições, atende uma voz a falar português com pronúncia francesa e uma mistura de espanhol. Fiquei um pouco confuso com esta mistura e pareceu ser uma voz de uma pessoa mais velha mas, era uma voz calma e que se estava a fazer entender. Diz estar na rua Mário Sacramento e, o cardápio anunciado ao telefone foi: rapidinha - 20€, rapidinha com oral ao natural - 25€, anal - 30€, completo sem pressas - 40€. Sigo para esta rua que é uma das mais movimentadas em Aveiro e, na minha opinião poderia designar-se avenida e não rua. Depois de encontrar o número do prédio tive de encontrar estacionamento um pouco mais longe. Faço a pé o caminho de volta ao número procurado e apercebo-me que este nunca poderá ser o prédio onde a senhora trabalha. É que esse número de porta é na verdade um estabelecimento comercial. Novo telefonema onde ela me diz que se encontra do outro lado da rua e que só não diz o verdadeiro número no primeiro telefonema por este estar mais escondido e ser difícil de encontrar. Atravesso a rua com ela ao telefone e ao chegar á porta abre-a e diz o número do andar.

 

Subo pelo elevador e chegando ao andar pretendido, abre-se a porta de um apartamento, com alguém vestido de preto a dizer para entrar, assim fiz. Sinceramente devia ter voltado para trás. Talvez devido à diferença de entre o interior do apartamento (que estava bastante escuro) e a luz da rua só conseguia ver uma cara branca com cabelos loiros, além disso o comentário simpático em relação ao meu aspeto físico também não me ajudou a focar ideias. No meio dessa conversa vou seguindo a senhora para o quarto e, no corredor, vejo uma porta aberta com luz acesa, era a casa de banho. Aproveito o momento para ir refrescar o tolinhas. As instalações sanitárias estavam limpas, com produtos de higiene pessoal mas o ponto negativo é ter uma toalha para nos limparmos que pelo seu aspeto é a mesma utilizada por todos os clientes. Preferi deixar a minha roupa interior secar as joias de família. Sigo para o quarto e é aí que me dou conta do camafeu que está á minha frente mas, já estava dentro do quarto com a porta fechada, estava dentro da jaula era tarde para fugir. Disse para mim mesmo: tenho de enfrentar o bicho. Do que pude ver o apartamento tem bom aspeto. O quarto é limpo, apresenta cama de solteiro com dois colchões sobrepostos sobre a qual se coloca o lençol de trabalho. Contem ainda um sofá onde certamente esta “PS” descansa entre clientes, uma televisão que se manteve sempre ligada enquanto lá estive e, uma mesa com um prato de rebuçados de mentol entre outros itens relacionados com a atividade exercida no local. Penso que trabalha sozinha.

Esta senhora é velha, não perguntei a idade com medo da resposta mas já deve ter ultrapassado a barreira de sessenta e se por acaso isso ainda não aconteceu, está muito perto de acontecer. Perguntei o seu nome, responde Beatriz. Apresenta-se vestida de forma elegante, casaco escuro, saia curta de cor a condizer com o casaco, meias de licra claras e sapato de salto. Parecia uma administrativa com classe. No entanto, a cara não engana, é idosa e á medida que se ia despindo o resto do corpo confirmava isso mesmo. Peito flácido que á muito perdeu a batalha contra a gravidade, barriga gorda e descaída, pernas e traseiro cheios de gordura que lhe dão umas ancas muito largas ao mesmo tempo que de cada vez que se meche lhe dão o espeto treme-treme. Tem cerca de 1,65m, peso não sei mas uns 70Kg, cabelo louro pintado, olhos castanhos, vagina não é depilada. Não vi nenhuma tatuagem ou marcas que a distinguisse. Tenta ser simpática, vai falando enquanto se despe e coloca o lençol de trabalho em cima da cama, vai fazendo uns elogios e diz que está em baixo de forma porque não gosta de fazer desporto durante o verão uma vez que transpira muito. De notar que o seu sotaque francês desapareceu quando entrei no apartamento só reaparecendo junto à porta quando me preparava para sair, e durante a minha permanência dentro do quarto o seu sotaque era 100% brasileiro.

 

Pediu o pagamento adiantado. Como não me dou bem sendo pressionado, e vi que ia ser um encontro difícil, escolhi o menu de 40€ já que prometia ser sem pressas. Já com o lençol de trabalho em cima da cama vamos a sexo. Deito-me em cima da cama e ela vem atrás já com gabardine para o tolinhas nas mãos. Uma vez que estava a pagar o menu mais caro, perguntei se não fazia oral ao natural. Respondeu que não porque tem medo. Coloca a gabardine e começa num oral que nem era mau mas, o panorama que se colocava em frente dos meus olhos não trazia grande animação ao meu tolinhas que, ao mesmo tempo, ia sofrendo de estrangulamento já que a gabardine não se adequava ao seu tamanho. Como estava a ser difícil para o tolinhas ganhar firmeza, vem a conversa do: porque é que não fica duro; tem ficar duro; vá lá fica duro…. Isto não me ajudou em nada, ainda assim depois de muito esforço e uma grande força de vontade o tolinhas ficou cheio de coragem. Ao ver a dimensão do equipamento a senhora queria que eu me viesse no peito dela. Bolas! Não paguei 40€ só para bater uma punheta para as mamas dela. Antes disso quis fazer anal até porque o anúncio diz: Por trás Gosto mais… Ela aceitou mas teríamos que ficar de pé estando ela com as mãos em cima da cama. Por mim tudo bem, e lá saímos da cama. Todos estes movimentos de subir e descer da cama, rodar sobre si mesma, etc. são feitos de forma muito lenta e por vezes difícil. Foi aí que pensei: seja qual for a atividade física que ela pratique ou a intensidade da mesma, já nada lhe poderia valer no que toca à forma física. O problema é mesmo a PDI.

 

Colocamo-nos em posição, um pouco de gel e ela guia o tolinhas para o alvo. Como sempre a entrada é difícil. Entra e sai devagarinho e de cada vez que entra tenta ir um pouco mais fundo até entrar todo. Passado pouco tempo deste vai e vem manda parar porque estava a doer muito. Tirei o tolinhas, ela senta-se na cama e diz que aguenta bastante mas está a ser difícil devido as dimensões acima da média. Mais uma vez tenta que eu me venha no seu peito mas, insisto em mais um pouco de anal. Com um pouco de relutância acedeu mais uma vez, colocou mais lubrificante colocou-se em posição e disse que eu teria de ser um pouco mais rápido e gozar depressa. Foi um grande erro da parte dela. Se é para despachar entro com mais vigor e nessa cadência mais acelerada ela insistia para que eu gozasse rápido. Apesar de o tolinhas estar bem apertadinho e de ter uma cadência animada, estava difícil atingir o clímax. Não sei porquê mas estava bloqueado e dali a pouco tempo tive de parar a pedido dela. Aí sim tirei a gabardine e disse que ia gozar no peito dela. Ainda demorou um pouco mas lá me vim. No quarto limpei o tolinhas com papel em rolo mas antes de me vestir fui á casa de banho lavar-me como deve ser. Vaginal, nem passei por lá, por isso não posso avaliar a higiene pessoal da senhora mas, posso dizer que ela não passou pela casa de banho antes de ir para o quarto.

 

Volto para o quarto e enquanto me visto ela diz que tenho de lá voltar mais vezes para que se habitue às dimensões do meu tolinhas. Vamos em direção á porta e lá volta o sotaque francês.

 

Conclusão: Uma treta de convívio, ao telefone é simpática promete um convívio sem pressas, oral ao natural. No entanto, apesar de ser atenciosa, no quarto tenta despachar, não faz oral ao natural, o seu envolvimento e os seus movimentos são limitados (a PDI já não permite mais). Embora a lista de contatos que consta do Diário de Aveiro seja relativamente extensa, basta fazer uma dúzia de telefonemas para concluirmos que muitas “PS” colocam vários anúncios fazendo com que as reais possibilidades de escolha sejam mais limitadas. Ainda assim, acredito que em Aveiro por 40€ se consegue encontrar algo bem melhor do que eu encontrei que, certamente se encontra no fundo da tabela no que toca á qualidade. Ainda não sei como é que consegui ter sexo com aquela criatura. Foi um encontro a não se irá repetir e que, definitivamente é para esquecer.

 

Boas Phodas a todos.

 

 

 

PS: Se alguém ler isto e conhecer a senhora, por favor informem-na de que ela deve parar e se retirar do ativo porque já ultrapassou há muito a data da reforma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Ninor às 07:34

Tal como está escrito na primeira linha a azul no topo deste blog, o mesmo serve para publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. Não permitirei que este blog seja uma plataforma publicitária, por isso quem quiser publicitar o que quer que seja no espaço para comentários deste blog, verá os seus intentos frustrados tão cedo quanto me for possível. Procurem outro local ou concebam o vosso próprio espaço publicitário.


3 comentários

De Anonimo a 04.02.2013 às 22:22

Mais um inocente... claro que a maioria dos anúncios não param de blasfémias mentirosas. Eu sei o que isso é, já fui enganados por muitos anúncios cá em Portugal... Só encontrei uma casa em condições com jovens entre os 20 aos 30 anos em ovar, mas aquilo mais parece um regime de ditaduras, do que propriamente sexo a vontade.

Amigo, para fazeres um bom sexo, tem que ser num grande pais e numa grande cidade.

Por exemplo Londres (Inglaterra) já é completamente diferente a maneira que fazem... do tipo vês a pessoa e podes fechar a porta na cara se não gostares da mesma.

De carlito a 04.03.2013 às 16:22


assunto ,sexo em aveiro infelizmente já me tem acontecido essa cituação , mas como sou pessoa , que evito chatiar-me , e já paguei , acabo por mostrar o meu desagrado , e dizer apenas que não bolto mais , mas de vez emquando ,como diz o velho ditado quem anda a chuba molha-se, gostei do bosso comentario

De ahpois a 24.03.2014 às 02:19

É o que dá pagar para ter sexo... Essas mulheres só estão interessadas em dinheiro,só um completo otário é que não percebe isso. E se forem realmente boazonas e jovens,certamente terão mais onde aplicar as suas figuras físicas.
Não consigo perceber que prazer tem um homem em estar a fazer sexo com uma "desgraçada" que ainda está a fingir que geme ou notoriamente incomodada e a tentar despachar a situação.
Já agora...mesmo com a suposta higiene e casaco postos,existem DSTS que podem ser apanhadas mesmo dessa forma. Ainda não apanhou nenhuma GP com verrugas genitais? Teve sorte... É que basta tocar-lhe ou roçar-se levemente para ter de andar anos a queimar o pénis com ácidos para tirar as verrugas horriveis.
Não será mais fácil arranjar um relacionamento fixo com alguem sexualmente compatível?

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031





Flag Counter

Visitantes Online