Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sexoconvivio

Este Blog contém relatos de encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo.



Este Blog destina-se á publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. É proibida a cópia e/ou reprodução total ou parcial do conteúdo do Blog sem autorização escrita do seu autor. Aconselho a que menores de idade se abstenham da leitura dos relatos aqui postados. Utilize a pesquisa deste Blog para procurar um número de telemóvel, nome, localidade, etc. de forma mais rápida. Boas leituras e deixe o seu comentário se assim o desejar.

Domingo, 12.01.14

966156646

Dia 29-12-2013, uns dias antes dei uma vista de olhos pelos classificados do Correio da Manhã para ver o que de novo poderia existir e, talvez, fazer um ou dois telefonemas de exploração. Alguns anúncios obtiveram a minha atenção entre os quais o seguinte anúncio: ARROIOS NOV PORT 24A COMPLETA DESINIBIDA ORAL NAT 20R, 966156646. Geralmente evito encontros em que as profissionais do sexo tenham idade inferior a trinta anos porque, me parece que estão mais preocupadas em mostrar que têm um bom corpo e receber o guito, do que em satisfazer o cliente. Contudo, não resisti e lá fiz o telefonema para saber as condições para realizar o convívio. Atendeu uma voz com sotaque português que me disse não ser a anunciante mas, que me daria as informações pois a colega é nova ali e ainda não consegue orientar bem os clientes até ao local. Disse estar na Rua Eduardo Brasão especificando o número de porta perto do mercado de arroios, o convívio é calmo e sem pressas, podendo dar uso a acessórios, pode ser completo se o cliente o desejar onde anal é á vontade, o valor pedido é 20€, estando disponível até às 23 horas. Ao ouvir a informação, “anal á vontade”, fiquei de imediato com vontade de ir ao local confirmar a veracidade da informação, no entanto, afazeres profissionais e o Natal pelo meio ditaram o adiamento deste encontro. Estes dias de espera fizeram-me pensar se 24 anos de idade, com anal á vontade por 20€, não seria “fruta a mais”, até porque não tinha sido a anunciante a falar comigo. Neste último domingo do ano a minha disponibilidade de tempo deu-me a oportunidade de dissipar ou confirmar essas dúvidas. Por ser domingo, fui aos classificados verificar se o anúncio estava publicado não fosse o caso de ser dia de folga da profissional do sexo. Confirmado que estava, voltei a telefonar desta vez tentando falar com anunciante para confirmar as informações que a colega me havia dado. Fui rapidamente atendido e desta vez pela própria anunciante que disse chamar-se Sandra, confirmou o local onde se encontra, os valores pedidos pelo convívio completo acrescentando que, por 40€, também poderia atender em conjunto com uma amiga onde se incluiria show lésbico, penetração de ambas e utilização de acessórios se eu assim o desejasse. Confirmada que estava a informação que eu buscava e possibilidade de atendimento, segui para o local. Ao chegar apercebo-me de que a morada que me havia sido dada já era minha conhecida, já que cerca de um mês antes tinha entrado no mesmo prédio para um encontro com a Sílvia Silva. Surgiu a dúvida se não seria ela mesma a atender com número diferente, uma vês que nas semanas anteriores o seu número de contacto desapareceu da lista de anúncios publicados. Concluí que não poderia ser, a Sílvia tem muito mais que 24 anos, e por isso mantive a esperança. Fui á procura de estacionamento que estava difícil de encontrar, isto apesar de ser domingo, sendo no entanto gratuito.

 

Após estacionar numa rua perto do mercado de arroios, sigo a pé até á rua pretendida e faço o segundo telefonema do dia para saber se havia disponibilidade imediata bem como o apartamento para onde me havia de dirigir. Uma voz que me pareceu diferente da que me havia atendido anteriormente, direcionou-me para o apartamento que eu havia conhecido no mês anterior, dando a informação de que a porta do prédio já estaria aberta. Demorei pouco tempo a entrar no prédio e chegar ao apartamento onde aguardo alguns momentos até que abrissem a porta, algumas vozes fazem-se notar do lado de dentro do apartamento, contudo, fui recebido pela própria Sílvia. Rapidamente me apercebo que agora ela tem lá no apartamento duas profissionais do sexo a trabalhar com ela. De relance pude ver que são ambas caucasianas, uma com cabelo negro com aspeto de ser trintona e outra de cabelo castanho-claro com cara de ser mais nova, e foi apenas de relance porque fui de imediato encaminhado pelo corredor em direção ao quarto. Mesmo á porta dele pedi para ir á casa de banho para me lavar, e de imediato fui acompanhado até lá sendo necessário atravessar a cozinha para a alcançar. No caminho fui conversando com a Sílvia que olhou para mim e perguntou se eu já lá tinha estado, respondi que sim. Com quem? Perguntou ela. Contigo respondi eu. Ela abre a porta da cozinha que dá acesso à casa de banho e diz que vai chamar as meninas, mas antes de ir pergunta, falaste com quem ao telefone? Com a Sandra ou com a (lamento mas não me recordo do nome)? Falei com a Sandra, respondi. A Sílvia exclama: Há! Com a mais nova que é a mais desavergonhada. Enquanto eu sorrio ela diz para eu ficar á vontade que a vai chamar. Ao entrar na casa de banho ouvi: Sandra é para ti, vai. Ao contrário do que aconteceu da primeira vez que lá estive, neste dia já havia água corrente. Encontrei a casa de banho limpa e sem cheiros tendo á disposição sabonete liquido, papel e uma toalha que deve servir para todos os que lá estão e/ou lá vão. Lavei-me e fui direto para o quarto que fica logo á saída da cozinha, e onde a Sandra já tinha colocado o lençol de trabalho na cama e se estava a despir. Ela vestia lingerie branca e vermelha, uma camisa de noite de cor azul e sandálias de salto alto, cabelo apanhado com algum tipo de acessório atrás da cabeça. Cumprimentamo-nos com dois beijos e, já só vestindo as cuequinhas, ela saiu para ir buscar gabardines para o tolinhas que estavam em falta. Fui-me despindo e aproveitei para observar o quarto que tinha aspeto limpo e arrumado, tem uma cama de casal, um pequeno sofá, um tapete vermelho no chão, cortinas rochas, uma mesinha de cabeceira com um cestinho em cima onde estão uma série de brinquedos sexuais. Existia ainda um aquecedor a óleo, algo bastante agradável de encontrar nesta altura do ano. Quando a Sandra voltou já eu estava na cama, sem demoras ela tira as cuecas, atira-as para cima do sofá solta o cabelo e junta-se a mim. Ela é portuguesa com cerca de 1,65 a 1,70m de altura, a rondar os 55/60 quilos de peso, com pouca barriguinha o que lhe dá uma boa silhueta cujo aspeto geral é firme, cabelo castanho-claro, olhos castanhos, não considero que seja feia de cara mas, também não é top model, o seu peito é pequeno e o seu traseiro é firme e não muito grande. Não vi piercings, cicatrizes nem estrias mas tem vários sinais espalhados pelo corpo (costas e frente) que prejudicam um pouco a sua beleza, e tem quatro tatuagens em diferentes zonas do corpo. Anuncia 24 anos de idade e acredito que possa ser verdade, embora não me admirasse se na realidade andar um pouco mais perto dos 30.

 

Juntos na cama, comecei por elogiar as formas do seu corpo que são do meu agrado. Com ela deitada na cama fui para cima dela (a seu pedido) para uns beijos e caricias, alguns minutos depois coloquei-me de joelhos de forma a poder observar a sua vagina que é quase totalmente depilada, tem apenas uma pequena área da púbis aparada com forma de triangular logo por cima do clitóris. Mais alguns elogios e ela pergunta se quero ver o cú. Obviamente respondi que sim e num ápice ela coloca-se de gatas empinando o traseiro, ao ver estas curvas ponho uma mão em cada nádega e afasto-as para ver bem a porta traseira. Que belo senário se apresentou, nota-se que tem alguma experiência, fiquei com pena de não ter uma máquina fotográfica á mão para registar tal beleza bem como o sorriso que sem dúvida existia estampado na minha cara. E não era só a minha cara que mostrava contentamento, pois o tolinhas a esta altura já estava em pé mostrando firmeza. Passados alguns momentos, a Sandra voltou a deitar-se, perguntei se a podia chupar, com resposta afirmativa dei início ao oral que se perlongou por algum tempo com a Sandra a contorcer-se um pouco e a soltar alguns gemidos. Depois foi a vez dela praticar os seus dotes orais, deitei-me e ela fez um oral ao natural mediano, com garganta funda, sucção razoável, com uma cadência lenta e suave. Seguidamente sentou-se em cima de mim e durante alguns momentos roçou o clitóris nas bolas e no mastro do tolinhas ao mesmo tempo que procurava beijos. Mantendo essa posição ela agarra na gabardine e com alguma dificuldade veste o tolinhas, sem se lubrificar guia-o para iniciar o vaginal na posição de cowgirl, que continuou por largo tempo iniciando de forma lenta e suave num canal que senti apertadinho. Com vários beijos pelo meio e algumas mudanças de ritmo a Sandra foi mostrando algum prazer e satisfação, após o que, mudamos de posição e continuamos com vaginal na posição de doggy style, com ela a dizer que eu já lhe tinha tirado toda a vontade de foder. Após algum tempo a bombar nesta posição, e sem avisar, enfiei-lhe um dedo na porta traseira sem que houvesse alguma objeção. Com tão boa reação, sugeri que seguisse-mos para anal, e de imediato ela concorda. Após se lubrificar, damos início a anal continuando na posição doggy style. A entrada foi algo difícil sendo necessário algumas tentativas para que o tolinhas abrisse caminho, e mais alguns movimentos de vai e vem para que entrasse todo ficando bem aconchegado. Os primeiros minutos foram passados num ritmo lento e com a Sandra a dizer: vais-me partir o cú todo, ao que eu respondia que não era essa a intenção. Alarga-lo um pouco sim, parti-lo não. Aumentei a amplitude dos movimentos e um pouco da cadência com que os fazia, pelo meio fui inspirado pela memória dos relatos que o Logan publica no seu blog e pedi-lhe para empinar o traseiro para ver se o seu cú ficava aberto enquanto o tolinhas entrava e saía. Ela acedeu e realmente ficou um bocadinho aberto mas infelizmente só pude experimentar uma vez porque o esfíncter contraiu de tal forma que a reentrada foi ainda mais difícil que da primeira vez. Foi preciso alguma insistência para que o tolinhas voltasse a abrir caminho numa altura em que a Sandra já dizia: agora já só entra á frente. Depois disto não quis arriscar uma nova saída, continuei a bombar devagar até ao momento em que senti que o fim se estaria a aproximar, nessa altura agarrei-a pelos ombros e imprimi um ritmo mais animado até finalizar, altura em que a Sandra, num tom de satisfação, diz: que sensação.

 

Seguidamente a Sandra retira a gabardine ao tolinhas e pergunta se quero toalhitas para acabar de o limpar. Disse-lhe que preferia ir á casa de banho lavar-me, ao que ela acedeu dizendo que me acompanhava pois ia-se lavar também. Assim foi, por entre mais alguns beijos e caricias lá nos lavamos para depois regressarmos ao quarto. Visto-me enquanto a Sandra arruma o quarto e se veste também, mostra-se pouco conversadora e também não puxei grande conversa, pago pouco antes de sair do quarto e sou acompanhado á porta de saída que se encontra na outra extremidade do corredor junto á sala de estar. Nela, a ver televisão, encontravam-se a colega da Sandra e a Sílvia que, ao ver-me de saída, disse: como já cá estiveste antes, da próxima vez não precisas de telefonar. A porta do prédio está aberta, é só empurrar entras e depois bates á porta do apartamento. Confesso que fiquei admirado com esta sugestão. Com a promessa de voltar e desejos de um bom final de ano, despedi-me da Sandra e restantes senhoras e fui á minha vida.

 

Conclusão: Em regra fico desapontado nos encontros com jovens profissionais do sexo (menos de 30 anos), este foi uma exceção. A Sandra, embora pouco faladora (o que para muitos poderá significar pouca envolvência) mostrou-se simpática, com vontade e capacidade de satisfazer o cliente. O seu oral tem muito por onde melhorar, no entanto, este facto é compensado pela disponibilidade que mostrou no convívio completo tendo, a meu ver, uma relação preço-desempenho positiva. Apesar de ter uma silhueta agradável, para algumas mentes esteticamente mais sensíveis, os vários sinais que a Sandra tem pelo corpo poderão ser um entrave para um encontro satisfatório. Não é o meu caso, este foi um convívio que me surpreendeu e agradou. Controlo de tempo? Não sei quanto tempo que lá estive, mas também não senti nenhuma pressão para me despachar. Se volto para repetir? Espero bem que sim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Ninor às 19:48

Tal como está escrito na primeira linha a azul no topo deste blog, o mesmo serve para publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. Não permitirei que este blog seja uma plataforma publicitária, por isso quem quiser publicitar o que quer que seja no espaço para comentários deste blog, verá os seus intentos frustrados tão cedo quanto me for possível. Procurem outro local ou concebam o vosso próprio espaço publicitário.


14 comentários

De Jorge a 20.01.2014 às 19:48

qual foi o preço da Sandra?

De Jorge a 20.01.2014 às 20:01

Boa noite,
conhece alguma coisa boa aqui para os lados de Vila Franca / Alverca
Obrigado

De Infiel a 23.01.2014 às 12:13

"Em regra fico desapontado nos encontros com jovens profissionais do sexo (menos de 30 anos), este foi uma exceção."

As mulheres maduras é que não param de surpreender quando se trata de satisfazer os homens. Talvez por isso (e cada vez mais), elas encontrem mais adeptos entre os homens que procuram a satisfação plena.

Gostei muito do que li.

Obrigada!

De João Barbosa a 30.01.2014 às 17:43

Boas. Parabéns pelo Blog, bons relatos com total descrição, muito rigor e diversas curiosidades.
Após uma vasta experiência em encontros de convívio. Gostava de saber se conhece algum sítio onde a(s) menina(s) tenham como acessório uma sex machine e obviamente a aceitem usar para o cliente observar.
Muito obrigado pela resposta, desejo uma excelente continuação.
Cumprimentos.

De Ninor a 03.02.2014 às 21:13

Caro João, agradeço as suas palavras em relação ao blog. Quanto a sex machines, não conheço ninguém que tenha uma, brinquedos sexuais são fáceis de encontrar mas, nada disso é bem a minha área.

De encontros portugal a 12.02.2014 às 01:23

porra pá o texto é enorme mas resumundo concordo com tudo :)

De Anónimo a 03.04.2014 às 01:45

parabéns, mais uma excelente review :)

De Inexperientedo ssexo a 03.05.2014 às 23:11

Boas procuro uma PS para uma primeira vez por estas andanças tenho uma relação longa com uma pessoa muito reservada e a muito que procuro alargar os meus horizontes tendo eu 26 anos procuro alguém perto da minha idade e completamente desinibida mas que tivesse um bom corpo está pelo teu testemunho parece ser a indicada, que sugeres? Para comer por fora tem queser melhor qque o que tenho em casa. Também admito que tenho alguns receios de chegar lá demasiado cedo uma vez que estando com a mesma companheira a algum e com ela oral e anal nem vê-lo sugeres alguma dica? Desde já obrigado.

De Ninor a 07.05.2014 às 02:06

O seu comentário lava-me a crer que você dá muita importância á idade e aspeto físico da PS. Uma vez que para mim estes aspetos são secundários só posso dizer que sou a pessoa errada a quem colocar este tipo de questões. Até porque eu não faço ideia do que você tem em casa.

Mais de uma PS me confidenciou que 70 ou 80% dos seus clientes são casados ou têm um relacionamento fixo e ainda assim as procuram. Não sou exemplo para ninguém nem pretendo ser moralista mas, devo dizer que desaprovo este tipo de comportamento (e por isso nunca o pratiquei) quando o mesmo é realizado sem o conhecimento prévio da parceira(o). Assim sendo, a única opinião séria que lhe posso sugerir é a de que em vez de se iniciar em encontros com PS, que têm diversos riscos associados, talvez não seja muito má ideia substituir o atual relacionamento fixo por outro.

Não tenho soluções para o seu ao receio de “chegar lá demasiado cedo”, só posso dizer que se chegar a experimentar um encontro com uma PS e não estiver satisfeito com o seu desempenho, consulte o seu médico que ele sim estará habilitado para lhe propor soluções eficazes.

De Inexperiente do ssexo a 31.05.2014 às 19:51

Já lá fui e adorei claro que não foi bem o que idealizei pois ao fim de 10 anos com a mesma pessoa a coisas que só mesmo com a pessoa mas até nisso foi positivo fez me dar mais importância ao que tenho em casa apesar de não ter o oral nem o anal apercebi me que tenho mais prazer com a minha mulher não que ela vendo alguma desmotivação não se tenha esforçado, fizemos um oral mutuo durante alguns minutos passamos para cowgirl seguindo para missionário onde lhe segurei nas mamas e onde bombei a todo o gás a c*na dela até batia palmas durante algum tempo com alguns gemidos dela (pareceu me algo exagerado) até chegar quase lá, onde lhe pedi que se coloca se de 4 e partimos para o anal com lubrificante após entrar e alguns movimentos comecei a todo o gás segurando pelos ombros onde não aguentei muito tempo limpamos nos vesti me e levou m a porta despedida com um beijo na boca.

De Anónimo a 24.10.2014 às 13:27

Caro inexperiente, tenho pena em ouvir que a sua companheira não o satisfaz, mas há algo que gostava de lhe perguntar na tentativa de o ajudar. Já falou com a sua companheira acerca de oral/anal? Costuma fazer-lhe oral e ela recusa-se a retribuir? Eu pergunto isto porque vou-lhe partilhar a minha experiência pessoal:

Tive uma namorada que também após quase 1 ano de namoro nunca me tinha feito oral. Ela não se recusava a receber, apesar de muitas vezes não fazer a depilação bem feita, algo que me incomodava quando andava "lá por baixo". Durante algum tempo não disse nada mas uma vez confrontei-a com o facto de ela não retribuir, com o que ela responde que tinha um bocado de nojo. Obviamente que levou com a reposta "mas se for eu já não te importas..." com o qual terminei "então também podes esquecer língua e dedos". Daqui foi o descalabro total... Ela a dizer que não gostava e que eu não sabia o que fazia, quando já tinha perdido a conta às vezes em ela se veio literalmente na minha cara, eu a acusá-la de ser egoísta, enfim... Vim-me embora de casa dela e fiquei 2 dias sem lhe falar, mas acabei por lhe ligar e fui ter com ela. A partir daqui as coisas mudaram; ela disse-me que nunca o tinha feito (isto com 28 anos) e que estava algo receosa de me não agradar e de fazer as coisas mal. Tivemos uma longa conversa acerca de uma série de coisas, desde fantasias minhas, de coisas que ela gostava também é acabei por perceber que tínhamos até gostos complementares, visto que eu gosto de dominar e ela gostava de ser dominada, isto num sentido de que excita-a ter um "homem a sério" que sabe o que fazer com ela.

Depois disto a nossa vida sexual mudou bastante. Ela perdeu as inibições e começou a fazer-me oral sempre com espanholada, visto que cada um dos seios dela enche-me a mão e sobra, e também começou a aceitar que lhe fizesse algumas explorações anais. Durante o tempo que namorámos (depois disto cerca de mais 2 anos) ela acabámos por fazer anal algumas vezes, mais para me agradar porque percebi que não era o prato dela, mesmo com um vibrador a massagar-lhe o clitóris.

O diálogo é muito importante no sexo. Com a minha actual namorada temos uma entrega total um ao outro fazemos coisas que eu pensava que só as iria fazer com acompanhantes e mesmo assim só com algumas mais devassas. Chegámos lá com tempo, com diálogo e correr o risco de pedir sem saber a resposta.

Espero que a minha experiência pessoal o ajude.

De Jv a 04.09.2014 às 13:01

boa tarde..
escreve muito bem, tem uma excelente visão para pormenores, analisa com bastante frieza (neste caso é positivo) as situações e pessoas...já pensou em publicar um livro??? é complicado devido à necessidade de preservar a sua identidade em segredo...mas o Cunhal escreveu 40 anos inclusive no ''tempo da outra senhora'' sem se dar a conhecer!!!!!
continue a escrever...gostei muito!

De Ninor a 09.09.2014 às 21:36

Jv, obrigado pelo seu comentário. A única resposta que lhe posso dar é não. Por vários motivos, não… nunca pensei, de momento não penso e não creio que venha a pensar nessa hipótese.

De João Nuno a 05.02.2016 às 18:31

Pessoalmente gosto daquelas acompanhantes que dão beijos, o beijo para mim é algo extremamente excitante.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031





Flag Counter

Visitantes Online