Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sexoconvivio

Este Blog contém relatos de encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo.



Este Blog destina-se á publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. É proibida a cópia e/ou reprodução total ou parcial do conteúdo do Blog sem autorização escrita do seu autor. Aconselho a que menores de idade se abstenham da leitura dos relatos aqui postados. Utilize a pesquisa deste Blog para procurar um número de telemóvel, nome, localidade, etc. de forma mais rápida. Boas leituras e deixe o seu comentário se assim o desejar.

Quarta-feira, 09.10.13

926314311

Dia 29-09-2013, já tinha decidido que este seria um dia onde a existência de um encontro de sexo pago seria uma realidade. Procuro anúncios de convívio completo nas páginas dos classificados do Correio da Manhã comprado nessa manhã, seleciono alguns e faço a habitual pesquisa telefónica para saber quais as condições para a existência de convívio e a sua localização. Ao telefone uma mão cheia de anunciantes satisfazia as minhas espectativas e decidi-me por um situado na Amadora mas, quando cheguei ao local referenciado, ninguém atendia a minha chamada. Após dez ou quinze minutos de espera, e uma segunda tentativa de estabelecer contacto telefónico com os mesmos resultados que a anterior, decidir ir ao encontro da minha segunda opção. O seu anúncio era o seguinte: A MENINA DO PAPAI. GORDINHA SAFADA. ORAL NAT ATRÁS ADORO, 926314311. No primeiro contacto uma voz calma com sotaque brasileiro disse estar perto do metro de arroios na Rua Morais Soares especificando um determinado número de porta, fez um resumo da sua aparência; gordinha, cabrita-clara, 36A de idade, peito 46. Faz convívio normal por 20€ e completo por 30€, estando disponível até às 20h. Tinha algumas reticências em voltar a arroios, pois pouco tempo antes tinha por lá andado num encontro que não correspondeu às minhas expectativas. No entanto, embora estivesse localizado na mesma área de Lisboa, o anúncio deste dia tinha um endereço diferente.

 

Sigo para a rua referida e localizo o número de porta que me havia sido dado, reparo que é uma porta em ferro trabalhado e vidro, o estacionamento estava difícil e sou obrigado a rodar um pouco pelas ruas adjacentes até encontrar um local onde estacionar, toda aquela zona tem estacionamento pago nos dias úteis. Faço o segundo contacto para saber se está disponível e receber o resto da morada. Disse estar disponível, confirma o número de porta que já me havia dado e especifica o andar a que devo subir, vai abrir a porta de imediato mas, devo aguardar um minuto antes de subir que ela vai arrumar o quarto. Eu estava estacionado um pouco longe e a caminhada levaria o tempo que ela precisava. Como a porta do prédio já se encontrava aberta entro sem demoras, e não existindo elevador subo pelas escadas em madeira até ao andar que me havia sido dado. Ao chegar ao andar pretendido, não preciso de ficar á espera para entrar, pois noto que a porta à direita se está a abrir, uns olhos espreitam cá para fora e uma voz me convida a entrar. Entro e…sem dúvida nenhuma, este é o apartamento mais fraco onde já entrei para realizar um encontro. Tinha um aspeto limpo e arrumado mas era minúsculo e composto apenas por uma divisão, onde se encontrava uma cama de casal com lençol de trabalho, uma cadeira, um lavatório, um bidé com um frasco de sabonete líquido por perto, um balde do lixo entre o lavatório e o bidé, uma televisão que se manteve sempre ligada e que estava montada num suporte na parede e alguma pouca decoração nas paredes. Existia ainda uma porta fechada que presumo ser um armário embutido na parede ou talvez a entrada para uma cozinha.

 

Olho então para a profissional do sexo que me havia feito chegar a este local, e as características que saltam logo á vista são a sua baixa estatura com cerca de 1,65m de altura e o excesso de peso que ela tem e que lhe dão um corpo com aspeto tipo barril. Apresentou-se com um vestido muito justo com riscas brancas e pretas e uma flor estampada na frente, sapatos pretos de salto alto. Pôs-me logo á vontade dizendo: “como falei ao telefone eu sou gordinha, se você não gosta pode ir embora sem problema”. Optei por ficar pois já não é a primeira mulher gorda que encontro, e gorda é a palavra certa, com 90 e alguns quilos de peso e de baixa estatura, dizer que é gordinha é pouco. Durante o encontro revelou-me que planeia iniciar um tratamento para reduzir o seu peso durante o próximo ano, pessoalmente penso que ela o deve fazer, não só pela estética mas principalmente por ser uma questão de saúde. Diz que a posso tratar por Adriana (nome artístico) é brasileira, o seu tom de pele é como ela mesmo diz cabrita-clara, tem cabelo preto, peito tamanho 46 sem silicone e descaído. A sua cara é redonda, tem olhos negros e lábios que considero bonitos. Disse-lhe que queria fazer um chichizinho, ela respondeu apontando para o bidé que podia ficar á vontade e para me lavar de seguida porque ela merecia um pau limpo (na verdade merece ela e todas as mulheres). Assim fiz, e enquanto isso ela foi-se despindo, lavando-se logo a seguir a mim. Enquanto acabo de me despir vou observado mais algumas características da Adriana, vejo que a sua barriga é saliente, comparadas com o seu corpo as coxas são finas e com alguma celulite, as formas do seu traseiro ficam um pouco perdidas no meio de tanta gordura ficando um pouco achatadas, a vagina é aparada. A sua pele é suave ao toque, não vejo tatuagens ou piercings mas existem algumas cicatrizes.

 

Já totalmente despidos fomos para a cama sempre com conversa animada e que a Adriana não deixava morrer, característica essa que se manteve desde que entrei no apartamento até que de lá saí. Enquanto ela ia acariciando o tolinhas com as mãos, afirmou que ao telefone anuncia ter 36 anos de idade mas a sua idade real é 40 e que o convívio é uma ocupação em part-time pois tem um emprego fixo. O tolinhas foi mostrando sinais de vida, pouco depois ela aproxima-se dele dando inicio a um oral ao natural que senti muito suave e que em pouco tempo pôs o tolinhas totalmente em sentido. Foi brincando com a língua de alto a baixo não esquecendo o saco dos gémeos. Com boa sucção aos poucos foi aumentando a profundidade do oral até tentar engolir o tolinhas todo mas, sem sucesso. Depois coloca a gabardine no tolinhas e não tardou muito até que a Adriana comentasse as suas dimensões de forma generosa, mas exagerada, concluindo dizendo que da próxima vez eu deveria trazer de casa a gabardine do tolinhas pois as que ela tinha são muito apertadas. Após vestir o tolinhas a Adriana deita-se na cama para iniciarmos um vaginal na posição de missionário que fez o tolinhas sentir-se bastante aconchegado e onde as suas pernas se cruzaram nas minhas costas encostando as suas coxas firmemente na minha cintura. Seguiram-se mais algumas posições com a Adriana deitada, onde eu era incentivado a chupar-lhe os bicos das mamas, e por iniciativa dela nos fomos beijando. Passamos depois para a posição de cowgirl onde ela mostrou contentamento e satisfação. Passaram-se alguns minutos e sugeri então passarmos a anal para que o convívio fosse completo ao que ela acedeu. Colocou-se de quatro em cima da cama e, ao mesmo tempo, tentava tirar o lubrificante de dentro da sua mala que se encontrava no chão ao lado da cama. Ela estava demorar a encontrar o lubrificante por isso sugeriu que continuássemos o vaginal em doggy style enquanto procurava lubrificante, claro que não me opus e assim prosseguimos mais um pouco.

 

Finalmente lubrificou-se e aproveitando a posição de doggy style seguimos para anal que a pedido dela foi iniciado devagarinho. O tolinhas vai e vem mansamente para ela se ir descontraindo e aos poucos tenta ir um pouco mais fundo, no entanto não consegue entrar todo e a pedido dela fizemos uma pausa para nova lubrificação. Após essa segunda lubrificação eu tento ajuda-la a descontrair-se colocando-lhe dois dedos no traseiro, primeiro um e depois os dois num movimento de vai e vem seguindo-se mais uma tentativa do tolinhas em doggy style, e novamente não entrou todo. Estava difícil para ela, e por isso pediu-me para tentarmos anal de lado, assim foi. Novamente o tolinhas iniciou devagarinho o movimento de vai e vem mas, continuava a não conseguir estrar todo. A dada altura eu deveria estar com uma cara alegre pois ela comentou que eu era um safado que gostava de ver as mulheres sofrer e que depois disto podia entrar até um autocarro. Respondi que ela é uma exagerada. Algumas tentativas e muito suor depois, a Adriana pediu-me para voltarmos a vaginal e vendo a sua dificuldade concordei. Voltamos á posição de missionário durante mais algum tempo mas, eu ainda não tinha desistido de colocar o tolinhas todo dentro do seu traseiro. Por isso, passados alguns minutos, voltei a tentar anal mantendo a Adriana deitada na posição de missionário. Infelizmente o resultado foi o mesmo que nas tentativas anteriores, fui obrigado a reconhecer que simplesmente o tolinhas é demasiado avantajado para ela, e desta forma aceitei a sugestão dela em voltarmos ao vaginal até finalizar. E assim foi, voltámos á posição de missionário onde o ritmo foi alternando entre lento e mais animado até ao momento em que o tolinhas entregou o seu leite na gabardine. Seguidamente e sempre com muita conversa á mistura onde, entre outros temas da sua vida pessoal, as dimensões do tolinhas vieram novamente á tona, fui até ao bidé agarrei no rolo de papel, tirei algumas folhas e retirei a gabardine ao tolinhas, lavei-me e fui-me vestir enquanto a Adriana se lavava também. Esperei que ela se vestisse, e depois de largos minutos de conversa, paguei sem que ela mo tenha pedido, despedimo-nos e fui embora.

 

Conclusão: Desde início a Adriana mostrou-se simpática, meiga e muito conversadora relatando até alguns aspetos da sua vida pessoal propositadamente deixados fora deste relato. Embora o seu aspeto físico não seja o mais atraente, o seu convívio e atendimento foram bastante agradáveis e tenho de realçar de forma muito positiva a atitude por ela demonstrada nas várias tentativas em concretizar o convívio completo, apesar das muitas dificuldades que sentiu. Algo que muitas outras já na cama se recusaram a sequer tentar. Nada tenho a dizer quanto á higiene pessoal da Adriana que se lavou antes e depois do convívio, isto apesar das condições do apartamento serem as mais fracas que já encontrei até hoje. Com tanto tempo a conversar depois convívio acredito que não haja controlo de tempo. Se vou voltar? Apenas o tempo o dirá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Ninor às 22:27

Tal como está escrito na primeira linha a azul no topo deste blog, o mesmo serve para publicação, sob a forma escrita, de alguns relatos baseados em encontros de sexo pago vivenciados pelo autor do mesmo. Não permitirei que este blog seja uma plataforma publicitária, por isso quem quiser publicitar o que quer que seja no espaço para comentários deste blog, verá os seus intentos frustrados tão cedo quanto me for possível. Procurem outro local ou concebam o vosso próprio espaço publicitário.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031





Flag Counter

Visitantes Online